Tratamento de Doenças Graves

Tratamento de Doenças Graves

Doença Oncológica e Práticas de Cuidado com a Saúde

De mãos dadas com a medicina tradicional, nós buscamos realizar as melhores práticas terapêuticas objetivando sempre o melhor para o paciente, o tratamento multidisciplinar individualizado a cada pessoa é fundamental.

Buscamos elevar o seu nível do sistema imunológico sua energia, aliviar as dores, disposição centrando o seu organismo como um todo, melhorando assim a sua qualidade de vida.

O câncer é conhecido como uma doença crônica degenerativa cujo crescimento desordenado de células invade tecidos e órgãos que se dividem rapidamente. Estas tendem a ser agressivas e incontroláveis determinando a formação de tumores malignos com potencial para desenvolver metástases em diferentes órgãos do corpo. A prevalência de dor nos pacientes com câncer tem aumentado significativamente com o passar do tempo. Cerca de 90% dos pacientes com câncer têm dor crônica. Estima-se que 42% dos pacientes com câncer são submetidos a analgesia inadequada. Isto acontece dentre outros fatores por barreiras profissionais, como falta de conhecimento das doses apropriadas e efeitos colaterais além do mito sobre dependência e tolerância.

Para compreender a fisiopatologia da dor, entende-se que toda lesão tecidual, seja qual for sua origem (física, térmica ou química) é seguida de uma reação inflamatória. Isso resulta na liberação de substâncias químicas, tais como a Bradicinina, Histamina, Prostaglandinas e íons H+, que excitam as terminações nervosas livres presentes no sistema nervoso periférico (SNP). O impulso elétrico é conduzido pelas fibras nervosas, C e A-Delta, à medula espinhal e encaminhado para a região do tronco cerebral, tálamo, estruturas do sistema límbico e áreas corticais. No tálamo, a informação dolorosa é localizada espacialmente e projetada em estruturas do sistema límbico e cortical. Nas conexões efetuadas entre o impulso doloroso com estruturas do sistema límbico é atribuídas à dor o caráter emocional de sofrimento e desconforto.

A atuação desses sistemas em conjunto resulta na interpretação do processo doloroso e suas respostas.
O tratamento da dor é considerado adequado quando existe congruência entre o nível de dor referida e adequação da terapêutica prescrita.