Terapia Neural

Terapia Neural

Terapia Neural

O objetivo da Terapia Neural é “desprogramar” traumas no corpo físico e emocional a nível celular, regula o sistema elétrico, fornece energia e vitalidade, reduz os períodos de convalescença pós-operatório, é eficiente no tratamento de diversos desequilíbrios emocionais e físicos, tais como: estresse, falta de concentração, falta de memória, fadiga, depressão, insônia, transtornos no ciclo menstrual, desequilíbrios na tireóide, no climatérico e na menopausa, dores crônicas e agudas, nevralgias, tendinites, hérnias de disco, síndrome do túnel do carpo, síndrome do Piramidal, lesões nervos periféricos, síndrome dos escalenos, dores ciáticas e lombalgias, neuralgias, fibromialgia, etc

A terapia neural nos ajuda a apaziguar doenças. Sabemos que há dores que são incontroláveis, às vezes sofremos demais e não encontramos uma saída ou cura para o nosso sofrimento.

No entanto, muitas vezes, mesmo quando tudo já foi feito e ainda há algo que parece estar interferindo e dificultando a recuperação da saúde, podemos dizer que são campos de interferência de cicatrizes, traumas, desequilíbrio emocional, etc, que estão perturbando a comunicação do sistema nervoso autônomo para curar o corpo.

O sistema nervoso autônomo é composto de duas divisões. Uma divisão é o sistema nervoso simpático que é ativado pelo estresse. Ele acelera o seu ritmo cardíaco, faz você queimar o açúcar mais rapidamente, enrijece os músculos e, em geral, aumenta a sua capacidade de ``lutar ou fugir``. A outra divisão do sistema nervoso autônomo é o sistema nervoso parassimpático. Sua função é promover a cura, a digestão, reparação, etc. Ele diminui o seu ritmo cardíaco, aumenta o muco e digestão, etc.

Sabendo-se disso, a Terapia Neural é um método terapêutico onde seu objetivo é encontrar o que está causando a dor. De uma forma mais coloquial, a terapia busca encontrar a parte do corpo que está fazendo o curto circuito.

É por isso que, se houver um problema no sistema nervoso, o corpo começará a expressar que algo não está funcionando corretamente. É aí que a terapia neural entra, porque procura reparar os curtos-circuitos ou falhas que o sistema nervoso obtém buscando neutralizar os distúrbios / irritações que afetam o tono neurovegetativo e que desencadeiam a doença.

Situações traumáticas, como estresse emocional ou intervenções cirúrgicas, descarregam o potencial bioelétrico da membrana celular, impossibilitando a comunicação das células com o resto do organismo. Estes campos de interferência bloqueiam a informação, enfraquecendo nossa capacidade de auto-cura.

O sábio manejo do sistema nervoso chegará a ser um dia o instrumento principal da arte médica”. Von Herning, 1925